domingo, 6 de maio de 2018

'Morreu nos meus braços', desabafa a mãe do menino morto em Macaparana


A despedida do pequeno Ribery Mendes Ribeiro, de quatro anos, assassinado a facadas em Macaparana, Mata Norte do Estado, nessa sexta-feira (4), foi realizada na tarde deste sábado (5). O corpo do garoto foi velado numa capela do Sítio Ribeiro, propriedade pertencente à família. Lá, também foi sepultado o corpo da criança. Durante a manhã, a família esteve no Instituto de Medicina Legal (IML), no Recife, e fez liberação do corpo do pequeno.

A mãe de Ribery, Gláucia Gonçalves Mendes, de 27 anos, contou como tudo aconteceu. "Ele estava brincando na casa de um coleguinha. O homem já tinha furado (sic) uma menina na rua com a faca e subiu a ladeira. Foi aí que viu o meu filho e o outro menino dentro do terraço brincando. Ele o acertou pela grade". O outro filho de Gláucia, de 12 anos, quase foi atingido pelo suspeito, identificado como Luiz Francisco da Silva, 31.

Os familiares e amigos contam que a criança era muito comunicativa e querida pelos vizinhos e professores da escola onde estudava. Na sexta-feira, antes do ocorrido, Ribery estava na aula de reforço. "Ele chegou e falou 'mamãe, já fiz toda a minha tarefinha'. Poucos minutos depois, aconteceu. Ainda que eu tivesse corrido, não dava tempo. Eu peguei ele nos braços todo ensanguentado, sem saber o que tinha acontecido. Achei que tinha se machucado brincando. Não sabia da gravidade. Meu filho morreu nos meus braços, ressonando nos meus braços", lembra emocionada.

A família mora há mais de seis anos no local e conhecia o suspeito. "Ele era calado, vivia dentro de casa, nunca tinha mostrado esse tipo de comportamento. Ele foi mesmo para matar o meu filho. Estou desolada. Quero justiça." A mãe afirmou ainda que não tinha nenhum desentendimento com homem.

O crime abalou a cidade inteira. "Nós ficamos sem acreditar. Como é que tamanha barbaridade acontece com uma criança de apenas quatro anos? A comunidade escolar e a cidade inteira sente muito esse episódio", desabafou o pastor Joaz Oliveira do Amaral, diretor do Instituto Carlos Alberto, onde o pequeno estudava. "Era uma criança muito inteligente, levada e amada, que atraía a atenção de todos."

Além de Ribery, uma menina de 11 anos ficou ferida. Ela está internada na emergência pediátrica do Hospital da Restauração (HR), na área Central do Recife. O quadro de saúde é estável.

Após esfaquear os menores, o suspeito correu para a Cadeia Pública de Macaparana, onde foi detido e levado para a Delegacia de Goiana. Ele, que teria cometido o crime após se sentir importunado pelas crianças, passou por audiência de custódia no fórum de Nazaré da Mata e teve a prisão preventiva decretada, sendo recolhido para o presídio de Limoeiro, segundo policiais de Nazaré. Informações da TV Jornal Recife. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário