ANUNCIE LIGUE AGORA 81 9 9685-2843

ANUNCIE LIGUE AGORA 81 9 9685-2843

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Polícia investiga caso de vítima do "jogo" Baleia azul em Vicência

A Polícia Civil de Pernambuco reuniu a imprensa para dar informações sobre casos registrados em nosso estado, de vítimas do “jogo” Baleia Azul. No total, já foram registrados sete casos de adolescentes envolvidos com o jogo, um deles em Vicência. 

Além do caso investigado em Vicência, a polícia investiga dois no Recife, um em Paulista, dois em Moreno e mais um na Mata Norte, em Goiana.

Como os casos foram registrados com menores de idade, a Polícia não repassou maiores informações sobre os nomes e localidades mais especificas das vítimas.  

"É um jogo macabro, quase uma seita, que afeta pessoas que ainda não têm o discernimento que nós, adultos, temos", disse Darlison Freire, gestor do Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA).

O jogo Baleia Azul

A referência do nome do jogo não é por acaso. As baleias são popularmente conhecidas por comportamento suicida ao forçarem o encalhe na praia. Uma das teorias é a “hipótese do integrante doente”, quando uma baleia doente procura águas rasas e tranquilas em busca de segurança, outras baleias a seguem e acabam encalhadas também.

Tudo na internet se espalha muito rápido, mesmo as coisas mais inacreditáveis. Neste caso não é diferente. O fenômeno ganhou visibilidade e vem se alastrando pelo mundo e tudo começou na Rússia, em 2015, quando uma jovem de 15 anos tirou a própria vida; dias depois, uma adolescente de 14 anos, Rina Palenkova, cometeu suicídio na cidade de Ussuriysk. Depois de investigar as causas, a polícia ligou os fatos a um grupo que participava de um desafio com 50 missões, sendo a última delas acabar com a própria vida. A partir daí aconteceram cerca de 130 suicídios de crianças ocorridos na Rússia de novembro de 2015 a abril de 2016 e que de acordo com eles, quase todos eram membros do mesmo grupo na Internet. Informações da Folha de Pernambuco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário